29 maio 2011

Guia da Mountain Bike


Resenha:

Nos onze capítulos do livro, o autor mostra que andar de bicicleta é muito mais do que se equilibrar e sair pedalando. É também mais do que um simples exercício físico: é uma oportunidade de ampliar o círculo de amigos e fazer uma atividade que, em grupo, pode ser ainda mais gostosa e divertida.
Como qualquer viagem, passear de mountain bike exige algum preparo prévio. Por isso Ramalho começa o livro explicando a estrutura da bicicleta, detalhando cada componente e dando orientações para que o leitor possa escolher o melhor modelo.
O Guia da Mountain Bike também traz informações sobre acessórios e como modernizar uma bicicleta já usada.
O condicionamento físico não foi esquecido. Ramalho dá dicas de nutrição, alongamento e musculação que, além de preparar o ciclista, ampliam os benefícios que esse tipo de exercício promove no organismo. Há ainda sugestões de preparação física para aqueles que pretendem participar de competições.

Editora: Gaia
Páginas: 144
Autor: José Antônio Ramalho

Grace Kelly (1929-1982)

Pernas, pra que te quero?

O que a cidade de Santos já fez e ainda está fazendo

Clique na imagem para ampliar.

Santos ultrapassa 20 km de malha cicloviária

O município continua ampliando sua malha de ciclovias, o que consolida os avanços já conquistados ao longo dos últimos anos. A condição de ser uma cidade quase totalmente plana favorece a adesão a esta modalidade de transporte, que além de econômica, é saudável e ambientalmente correta. Com a inauguração do trecho de pistas exclusiva para bicicletas no Parque Municipal Roberto Mário Santini (praia do José Menino), a cidade alcançou a marca de 20,9 km de ciclovias.
Santos é destacada pela ABC (Associação Brasileira dos Ciclistas) como 'cidade amiga da bicicleta' pelo estímulo que dá ao uso desse meio de transporte. A malha cicloviária santista interliga as zonas Noroeste e Leste; e também a divisa com São Vicente na orla até a área portuária. 

Mais informações visite: santos.sp.gov.br

21 maio 2011

Downhill MTB in New Zealand with Brook MacDonald

VCA 2010 RACE RUN


VCA 2010 RACE RUN from changoman on Vimeo.
Valparaíso, Chile.

Conheça os diferentes tipos de bicicletas


Bicicletas podem parecer todas iguais, afinal todas têm um quadro, selim, rodas e pedal. O resto é detalhe? Claro que não! Assim como os automóveis não são todos iguais, bicicletas também não são. Para cada uso existe um modelo apropriado. Bicicletas para cidade, para trilhas esburacadas, rodovias, para manobras radicais, para cicloturismo. Existem até bicicletas próprias para passeio na praia e para transportes de pequenas cargas. Vale a pena conferir os modelos:

BMX - É a abreviação de bicimotocross, ou simplesmente bicicross. Crianças "endiabradas" adoram bikes como essas, convém comprar uns vidros de Merthiolate e umas caixas de Band-Aid juntamente com elas. Tem aros de 20'', quadro compacto e rígido para agüentar saltos e manobras radicais. O mesmo tipo de quadro é também usado em manobras de rua free-style, bastam alguns acessórios como o rotor e o freio só na dianteira. Não têm marcha, pois não são destinadas a percorrer longas distâncias. O quadro pode ser de cromo, alumínio e titânio.


Passeio - Também conhecidas como confort bikes. São de alumínio, com 18, 21 ou mais marchas. Têm o selim bem largo e confortável. Próprias para passeios curtos e médios. Vêm com pneu próprio para o asfalto, mas podem encarar boas estradas de terra. Vão bem em cidades litorâneas, onde a maresia não corrói o alumínio. Podem ter suspensão dianteira ou amortecimento no canote de selim.


City Bike - Não existem no mercado nacional. São comuns na Europa e Estados Unidos. São próprias para o uso urbano. Confortáveis e com espaço para pequena bagagem. Vêm com sistema de iluminação, obrigatório em alguns países para quem vai rodar à noite.



Feminina - O tubo horizontal do quadro é inclinado para garantir privacidade às mulheres de saia ao montar e desmontar da bike. Podem ser equipadas com cestinha no guidão para levar um nécessaire com batom, espelhinhos, celular além de transportar as compras, claro. São feitas em alumínio ou cromo, com marchas ou não.

Mountain bike - As mountain bikes, ou MTB para os íntimos, viraram febre mundial na metade dos anos 80. São os modelos que mais vendem no mercado. Em Portugal são chamadas de BTT, bicicletas para todo terreno.
São próprias para estradas de terra, trilhas em terrenos acidentados, neve e lama. São boas também para uso urbano e com pneus slick são adequadas para o cicloturismo. Têm o quadro e rodas muito resistentes, pneus lameiros e chegam a ter até 27 marchas para vencer qualquer subida.
Hoje, é muito comum terem suspensão dianteira e até mesmo dianteira e traseira, no caso das full suspension. Os norte-americanos, inventores das MTB, não param de adicionar tecnologia a esses "bichos". Tem MTB com quadro de cromo, fibra de carbono, alumínio, titânio e até mesmo uma liga que se chama scandium, que é um material que se usa em mísseis soviéticos.
Downhill ou DH - É uma variação do mountain bike, mas estas bikers servem apenas para descer ladeiras como foguetes, no meio de florestas, encostas pedregosas e outras doidices. Perfeitas para amantes da adrenalina e ossos quebrados. Essas bikes têm o quadro superdimensionado, pesado, com suspensões dianteira e traseira de grande curso e freio a disco.
Foto: Steve Bennett

Ciclismo ou Speed - São as bicicletas de corrida. Ideais para entusiastas do esporte. Rodam bem em estradas boas com asfalto perfeito. São velozes, leves (entre 7 e 10 kg) e percorrem grandes distâncias com facilidade. O quadro pode ser de cromo, alumínio, fibra de carbono e titânio. As rodas são aros 27'' com pneus finos como um dedo médio. Há opções de câmbio de até 20 marchas e nos modelos mais recentes os mudadores de marcha são incorporados na alavanca de freio. Desaconselháveis para uso urbano.



Triathlon - Irmãs mais novas das bikes de ciclismo. Têm as rodas no tamanho 26'' para proporcionar uma superfície frontal menor e cortar o ar com mais facilidade. São específicas para a prática do triathlon, onde a prova de ciclismo tem apenas 40 Km. Esses modelos são muito ágeis em curvas.

O quadro é mais compacto que os de ciclismo e possui uma geometria própria para poupar os músculos que serão utilizados na corrida a pé, após os 40 Km na bicicleta. Se você não treina triathlon, fique longe delas! Impróprias para passeios.


Esses são os principais modelos de bicicleta que vamos encontrar nas boas lojas do ramo. Cada um dos modelos descritos têm outras variações. Esse é apenas um guia básico.
por: Marcos Adami, Web Adventure.

15 maio 2011

Freiando a bike

1. O bom ciclista usa o mínimo possível os freios. Ele antecipa todas as suas reações e aproveita melhor a sua inércia;
2. Na freada forte, apóie seu peso nos pedais, com um pé para frente e outro para trás, deslocando um pouco para trás o corpo;
3. Freie sempre com os dois freios: quem para a bicicleta é o freio dianteiro; 
4. Freie com antecedência, principalmente quando for fazer uma curva; 
5. Mantenha-se atento e procure o melhor caminho para o momento.

Fonte: Escola de Bicicleta

13 maio 2011

Laranja - Vitamina C

via: lisainboots
Esta fruta é riquíssima em vitamina C, que tem como principais funções auxiliar o organismo na resistência às infecções, formação dos ossos e dentes, cicatrização das feridas e queimaduras, dá vitalidade as gengivas, evita hemorragias e conserva a mocidade, enfim, reforça as defesas do organismo contra todas as agressões.

Contém também quantidades consideráveis de Cálcio, Fósforo e Ferro. O Cálcio atua na formação dos ossos e dentes, coagulação do sangue e construção muscular. O Fósforo ajuda também na formação dos ossos e dentes e na absorção da glicose (principalmente para nutrir o cérebro, evitando fadiga mental). O Ferro faz parte do sistema produtor de energia e leva às células o oxigênio que os pulmões respiram.

A vitamina C, elemento nutritivo mais importante da laranja se oxida e se perde com facilidade. Para que isso não aconteça, e se possam aproveitar melhor suas qualidades nutritivas, deve-se observar alguns cuidados como: consumi-la no ponto certo de maturação; só descasque se for consumir imediatamente; se for cortar, só use faca de lâmina de aço inoxidável (outros metais atuam sobre a vitamina).

A laranja corrige a excessiva acidez do organismo; é estimulante do sistema circulatório, combatendo a inflamação das veias; e ativa o trabalho das glândulas segregadoras de suco gástrico, facilitando, desta maneira, a digestão e funções intestinais. Aos enfermos de gota e diabéticos, recomenda-se esta fruta, pois é rica em sais minerais e substâncias neutralizantes, influindo favoravelmente na eliminação do ácido úrico.

Na hora de comprar laranja deve-se dar preferência às mais pesadas, pois são as que apresentam maior quantidade de suco. De uma forma geral ela deve ser firme, sem ceder à pressão dos dedos. A laranja conserva-se em geladeira de 1 a 2 semanas.

Fonte: caloriasinteligentes.com.br

10 maio 2011

Alyson Hannigan

Alyson e sua linda filha Marie Satyana
Famosa por seus papéis como Willow Rosenberg na série Buffy - A Caça Vampiros e nos três filmes em American Pie na personagem Michelle Flaherty.

Via: LucyWho

Matthew McConaughey


via: posh24.com

Alternativas para bikes

Hoje, São Paulo tem cerca de 50 quilômetros de ciclovias. “Consideramos possível um circuito até dez vezes maior”, diz Maurício Broinizi, coordenador executivo do Movimento Nossa São Paulo, que apresentou à prefeitura em 2010 um plano de mobilidade para a capital.

O estudo analisou a implantação de uma rede mais modesta, de 170 quilômetros de ciclovias interligadas por uma linha estrutural e com ramificações nas 31 subprefeituras. Custaria cerca de 32,9 milhões de reais. Segundo pesquisa do Metrô sobre o uso da bicicleta, 70% dos ciclistas utilizam a magrela para ir ao trabalho.

“Por isso, os terminais de ônibus e as estações de trem e metrô precisam ter mais bicicletários”, explica Broinizi. Para Horácio Augusto Figueira, o ideal é que ciclovias sejam construídas de maneira segregada, distante dos carros. “No trânsito, os ciclistas só não são mais frágeis que os pedestres”, afirma.

Em Barcelona tem
O programa Bicing, implantado em 2007, prioriza as bicicletas nas ruas de Barcelona. Espalhados pela cidade, existem 413 postos de aluguel de bikes. Apenas os moradores estão autorizados a usar o serviço, que é pago (1,50 real por meia hora). O cidadão precisa se cadastrar para poder retirar e devolver a bicicleta em qualquer posto. A adesão superou as expectativas: há 190.000 usuários. O modelo custou 35 milhões de reais e disponibiliza 6.000 bicicletas. Uma cidade que tem focado a mesma alternativa de outra maneira, criando ciclovias, é Nova York. Nos últimos quatro anos, 410 quilômetros de via foram reservados aos ciclistas. Segundo a prefeitura local, essa medida reduziu em 40% o número de acidentes.

Foto: Marcelo Zanotti
Fonte: Veja São Paulo

08 maio 2011

Taga Stroller & Carrier Bike


Taga, veículo multifuncional urbano! Segura, confiável e divertido! Adorei! J
Taga bikes

Feliz Dia das Mães

Via: Corbis

O seu amor é incondicional o que torna única para nós. Mãe, uma palavra mágica que move todos os corações. Afinal, dia das mães é todos os dias! 

Passagem da Conceição 30 km 07.05.2011

Tarde perfeita para um pedal
meninas que pedalam 
turminha do dia
início da trilha
amigos do pedal
na trilha
  J
Patrimônio histórico - Casa de Memória Edith da Silva Fontes – 'Dona Sinharinha' 
pracinha da cidade
excelente pedal, revendo alguns lugares tradicionais mato-grossense J

06 maio 2011

De onde vêm as boas idéias?



Steven Johnson um dos principais pensadores da cultura digital. Vídeo sensacional para divulgação do seu livro "Where Good Ideas Come From: The Natural History of Innovation". 
J